Site Uberlândia Press

Notícias e Artigos de Uberlândia

Outras Notícias

Diagnóstico preciso e tratamento adequando são fundamentais para a cura da pneumonia

Durante a época do inverno, cresce o número de casos de doenças respiratórias, como a pneumonia. A doença tem maior incidência entre os meses de maio e agosto e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a terceira doença que mais mata no mundo, ficando atrás apenas do infarto e AVC. O infectologista Dr. Renato Miranda esclareceu o tema no Santa Clara Responde deste mês.

O especialista explica que a pneumonia é uma inflamação que se instala nos pulmões, em razão da penetração de um agente infeccioso ou irritante. “Ele causa uma infecção que atinge os alvéolos, responsáveis pelas trocas gasosas”, esclarece o Dr. Renato.

De acordo com o médico, os sintomas possuem evolução bem rápida e, geralmente, têm início com quadro de tosse seca, podendo evoluir com a liberação de secreção. “Febre alta com calafrios, falta de ar associada a dor no peito ao respirar, suores (principalmente noturnos), fraqueza, fadiga, dores pelo corpo, falta de apetite, náuseas e vômito, são alguns dos possíveis sinais da doença”, aponta o especialista.

Os agentes causadores da pneumonia são bactérias, vírus, fungos, ou substâncias agressivas ao pulmão, que entram no organismo pelas vias aéreas. Dr. Renato alerta para grupos de risco. “Crianças abaixo de 5 anos, idosos acima de 60, tabagistas, pessoas que consomem álcool em excesso e os desnutridos estão mais sujeitos a contrair a doença”

Ele indica que o tratamento pode incluir o uso de antibiótico, de antitérmicos e analgésicos se houver necessidade, repouso domiciliar, inalações, fisioterapia respiratória, manter uma boa hidratação e realizar visita ao médico para acompanhamento entre 5 a 7 dias em caso de febre, falta de ar, tosse ou dor no peito. “Siga sempre a risca as orientações do seu médico. Nunca se automedique e não interrompa o uso dos medicamentos sem antes consultá-lo”, orienta Dr. Renato.

O infectologista esclarece que é possível prevenir a doença. “Lavar bem as mãos, não fumar, evitar o uso excessivo de bebidas alcóolicas, evitar aglomerações de pessoas e se vacinar são as principais formas de prevenção. Apesar da alta letalidade da doença, com o diagnóstico preciso e o tratamento adequado, a pneumonia tem cura”, conclui o especialista.

Assessoria

x