Notícias de Uberlândia

Homem é preso após matar mulher e ligar para PM confessando o crime em Uberlândia

No começo da noite de ontem 13/08, por volta das 18h20m, no cruzamento da avenida alexandrino alves vieira, avenida elis regina, bairro esperança, a guarnição da Policia Militar foi acionada até ao local onde, segundo informações preliminares, um indivíduo de 42 anos, estaria aguardando a viatura policial a fim de informar aonde estaria um corpo.

Segundo apurado, o fato ocorrido por volta de 16h e que o suspeito seria o próprio solicitante. Ao chegarem, encontraram o suspeito próximo ao centro de controle de zoonoses, na avenida alexandrino alves vieira.

O mesmo informou que na mesma data  por volta de 15:00 horas havia cometido um homicídio e que a vítima encontrava-se no interior do matagal, próximo ao bairro esperança e próximo do local onde encontraram com o suspeito. Diante das informações, foram com o autor até o interior do matagal onde localizaram a vítima (que até o presente momento não foi identificada) já sem vida e em estado de rigidez cadavérica.

O suspeito disse que se tratava de uma divida de drogas que a vitima tinha com uma traficante de drogas do bairro esperança. porém não informou o nome dessa traficante, e que a divida seria de quatro pedras de crack, que representa uma quantia em dinheiro de r$ 20,00. O suspeito informou ainda que havia recebido uma certa quantia de drogas (cocaína) para executar o serviço e que antes do homicídio havia usado as drogas que recebeu para executar o homicídio.

O suspeito relatou ainda que atraiu a vítima até o local dizendo a ela que faria um programa, tendo em vista que a vitima seria garota de programa e que esse programa foi acertado um valor de r$ 30,00. O suspeito disse que se utilizou de algumas pedras para praticar o crime e que desferiu diversas pedradas, a maioria na cabeça da vítima e que só deixou o local após perceber que a vitima já estava sem vida.

Os peritos realizou os trabalhos periciais de praxe, o corpo da vitima foi encaminhado ao iml. Não havia nenhum documento que pudesse identificar a vítima. ao autor foi dada voz de prisão em flagrante delito e em seguida entregue na delegacia de polícia.

Com Informações/ PMMG