Artigos

Cardiologista une práticas de medicina tradicional e oriental para tratamentos mais eficazes

Técnicas podem ser utilizadas em conjunto no combate à dependência de álcool e tabagismo, por exemplo

A medicina oriental vem se firmando como alternativa ou recurso complementar aos tratamentos convencionais. Porém, a união das duas técnicas pode trazer resultados ainda melhores para os pacientes, especialmente em casos de doenças como transtornos de ansiedade, dependência de álcool e tabagismo.

O tratamento para a dependência tem como objetivo fazer com que o paciente consiga abandonar por completo o álcool, o cigarro ou as drogas. “Para isso, utilizamos tanto as ferramentas da medicina ocidental, com medicamentos que auxiliam no combate a ansiedade, depressão, insônia e síndrome da abstinência, quanto técnicas da medicina oriental, como a auriculoacupuntura e a acupuntura tradicional”, explica o Dr. Júlio César Kreling, cardiologista com especialização em acupuntura.

O especialista explica que utiliza essas técnicas para controle da compulsão, por meio da liberação de endorfina e serotonina no sistema nervoso, substâncias que proporcionam bem-estar. “Obtenho ótimos resultados com esse tipo de tratamento. Tenho experiência desde 1997, quando iniciei o atendimento a pacientes dependentes”, acrescenta o médico. Ele ainda ressalta que o comprometimento do paciente é um fator fundamental para o sucesso do tratamento.

A união da medicina oriental com a acupuntura faz com que o paciente se sinta mais calmo e menos irritado, além de dormir melhor e apresentar menos ansiedade. No primeiro atendimento, que dura aproximadamente uma hora, o profissional explica detalhadamente o que é a dependência, suas consequências no organismo e as dificuldades em abandonar o vício. Em seguida, começam as aplicações. Embora a sensação de dor varie de paciente para paciente, o tratamento é praticamente indolor.

Ter outros profissionais auxiliando e trabalhando em conjunto também é importante, pois o ideal é que o paciente tenha um atendimento multidisciplinar. “Em nossa clínica, desenvolvemos um tratamento em que fazem parte médico, psicólogo e nutricionista, já que os dependentes muitas vezes estão desnutridos ou têm aumento de peso quando param de fumar”, pontua o Dr. Kreling.

Sintomas e consequências da dependência

De acordo com o médico, no início o indivíduo está em “lua de mel” com o álcool, o cigarro ou as drogas, e acha que tem o controle. Os sintomas são primeiramente observados por outras pessoas, como familiares, amigos e colegas, que percebem as mudanças de fisionomia, do humor, da concentração e do sono. O que era vontade passa a ser compulsão. No caso do álcool, principalmente, os pacientes apresentam tremores e delírios que desaparecem quando eles bebem.

Em relação ao tabagismo, as consequências da dependência podem envolver problemas como câncer, infarto, acidente vascular cerebral (AVC), envelhecimento precoce da pele, rouquidão e enfisema pulmonar. Os abusos do álcool podem prejudicar órgão como o fígado, o coração, os vasos e o estômago. Além disso, a dependência de álcool e drogas também acaba proporcionando o sofrimento de familiares e pessoas próximas que fazem parte da rotina do dependente.

Assessoria