Operação Diamante de Vidro; Desarticula quadrilha responsável por tráfico, execução e extorsão

As Polícias Civil e Militar de Minas Gerais, em conjunto com o
Ministério Público de Minas Gerais, por meio da 17ª Promotoria 
de Justiça de Uberlândia e do Grupo de Atuação Especial de 
Combate ao Crime Organizado (GAECO) de Uberlândia/MG, 
deflagraram na manhã desta terça-feira (17/08/2021) operação 
voltada ao enfrentamento qualificado ao tráfico de drogas, à 
corrupção, homicídios, extorsões, roubos, receptações, estelionatos, 
lavagem de dinheiro, dentre outros crimes apurados em mais de 21 
(vinte e um) inquéritos policiais, cujas investigações conjuntas 
ocorrem há mais de um ano por meio de uma força tarefa integrada.

A operação foi denominada DIAMANTE DE VIDRO em referência à
gênese das investigações, que decorreu da prisão de indivíduos 
suspeitos de estarem negociando pedras preciosas na cidade de
Uberlândia/MG, especificamente diamantes, mas que no decorrer 
das apurações restou verificado que o material apreendido não se 
tratava de diamante.
Não obstante, as equipes investigativas constataram que os 
indivíduos atuavam de forma organizada e coordenada, na condição 
de integrantes de uma estruturada organização criminosa, cujo 
propósito principal era, além da prática dos inúmeros delitos 
antecedentes (tráfico de drogas, corrupção, homicídios, extorsões, 
roubos, receptações e estelionatos), também dissimular e ocultar os 
lucros ilícitos auferidos com suas atividades criminosas, por meio da 
lavagem de capitais executada das mais diversas formas.
As apurações realizadas em conjunto pela Polícia Civil, Polícia 
Militar e GAECO regional Uberlândia, lograram êxito em 
demonstrar a existência de uma estruturada e coordenada 
organização criminosa, integrada por criminosos de elevada 
periculosidade, cujos membros já completamente identificados 
superam 46 pessoas até o momento.
Os principais crimes investigados são os de tráfico de drogas, 
corrupção, homicídios, extorsões, roubos, receptações, estelionatos e
lavagem de dinheiro.

Neste sentido, atendendo a requerimentos formulados pela 
Autoridade Policial, o Poder Judiciário da comarca de Uberlândia 
determinou a expedição de 46 (quarenta e seis) mandados de busca 
e apreensão, 28 (vinte e oito) mandados de prisão preventiva, 
indisponibilidade de 14 (quatorze) imóveis e 
apreensão/sequestro de 27 (vinte e sete) veículos, assim como de 
02 (duas) embarcações náuticas. 
Além dos mandados judiciais que estão sendo cumpridos na cidade 
de Uberlândia/MG, estão sendo cumpridos também nas cidades de
São Paulo/SP, Jaiba/MG, Córrego Dantas/MG, Paracatu/MG, 
Tupaciguara/MG e Araguari/MG.
Registra-se, ainda, que a indisponilidade de bens e de patrimônio 
dos alvos investigados decretada pelo Poder Judiciário é de até 
R$ 13 MILHÕES de reais.
A operação realizada nesta data contou com a efetiva participação de 
03 (três) Promotores de Justiça mineiros, 100 (cem) Policiais 
Civis e 100 (cem) Policiais Militares de Minas Gerais, assim como 
com o apoio da Polícia Civil de São Paulo e da unidade regional
do GAECO de Paracatu/MG. Ademais, foram empregadas na 
operação 02 (duas) aeronaves, uma da Polícia Civil e outra da 
Polícia Militar de Minas Gerais.
Por fim, informa que a COLETIVA DE IMPRENSA acontecerá nesta 
data (17/08/2021) na sede do MPMG em Uberlândia/MG, situada 
na Rua São Paulo, nº 95, bairro Tibery, às 11:00hs.

Fonte: PMMG/PCMG/GAECO/MPMG